Saiba como evitar o golpe da Pirâmide financeira

Geral

Não importa por qual meio, é muito provável que você já tenha sido abordado para “investir” seu dinheiro em uma pirâmide financeira. Assim como uma virose, elas se tornaram uma epidemia e ganham adeptos, ou melhor, vítimas, todos os dias, em um ambiente econômico com muitas pessoas vulneráveis financeiramente. No texto de hoje, vamos ver como identificar esse tipo de golpe.O assunto é sério porque, além de deixarem um prejuízo para quem cai nesse tipo de armadilha, as pirâmides financeiras também geram um medo e desconfiança enormes em relação ao mercado de capitais. Num momento em que cresce a busca por informações sobre investimentos mais elaborados, é importante saber diferenciar golpes de investimentos sérios e regulados por entidades como CVM e Anbima. Pirâmide financeira não é investimento, é um crime.Nem eu, que venho me dedicando a combater esse que considero um grande mal do mercado financeiro, saí ileso: houve quem usasse meu nome em pirâmides disfarçadas de oportunidade de investimento. O golpe consiste num esquema em que novos “investidores” são responsáveis pela remuneração dos antigos. Ou seja, o “lucro” é pago por meio do aporte de dinheiro de novos interessados, e não pela valorização de algum ativo ou por operações comerciais ou algo do tipo. Assim, quanto mais gente é atraída para a estrutura, maior a remuneração dos que estão no topo, geralmente os idealizadores do golpe. Muitas vezes ocorre que os golpistas tiram o dinheiro do esquema bruscamente, causando uma correria entre as vítimas para resgatar seus recursos também. Só que, como não há recursos para todos, quem chega atrasado acaba ficando no prejuízo.Existem três características que são marcantes em todas as pirâmides que ajudam a identificá-las e impedir que você caia nesse tipo de armadilha.

:1- Promessas de ganhos fáceis, altos e rápidos, quando a esmola é muita, o santo desconfia. Não custa reforçar: em qualquer hipótese, duvide de rendimentos altos em pouco tempo. Muitas dessas oportunidades prometem valorização de 2% ao dia, ou até 40% ao mês. Quando colocamos esses números no papel, em alguns anos, esse tipo de investimento poderia superar o PIB mundial. Que tipo de aplicação séria poderia proporcionar isso? Lembre-se: Warren Buffett, o maior investidor de todos os tempos, conseguiu algo em torno de 20% ao ano de rentabilidade, em seus melhores anos. 

2- Ostentação: Não basta exibir premiações glamourosas para os membros que trazem mais pessoas para o esquema. Em busca de atrair mais adeptos, quem está por trás desse tipo de crime costuma ostentar carros importados, iates, viagens e uma vida de luxo que, na realidade, é proporcionada ao enganar outros “investidores”. Quem realmente tem sucesso no mercado financeiro, geralmente, tem um comportamento muito mais “low profile”, sem atrair atenção. Sucesso financeiro não está relacionado à exibição de bens.

3- Dependência de “novos membros” : A única forma de sustentar o esquema é trazendo novas pessoas. Se, para ganhar rendimentos, você precisa estar em busca de mais e mais pessoas, fique com a pulga atrás da orelha. Também é comum que pirâmides financeiras estejam camufladas por meio da venda de produtos ou serviços, por exemplo, fazendo com que os esquemas demorem a eclodir como golpe.  A diferença é que, nesse caso, o verdadeiro fluxo de recursos é da entrada de novos membros, não das vendas. Fique atento a esses sinais. Muitas vezes, em dificuldade financeira, muitas pessoas abrem mão do seu senso crítico em prol da “oportunidade”. Avalie bem o tipo de aplicação que é oferecida antes de realizar qualquer aporte financeiro. Busque informações sobre a empresa e seus controladores junto a reguladores (CVM e Anbima, no caso do mercado financeiro). Também vale ficar atento a denúncias de fraude em reportagens, órgãos de defesa do consumidor e até em redes sociais. Com  conscientização e cuidados, é possível investir de forma saudável e segura, sem cair em ciladas como essas.

Fonte: Yahoo



Compartilhe